Entrevista com Gustavo Brauner, um dos autores de Tormenta RPG - Multiversos
Siga-nos nas redes sociais

Confira o nosso papo com o PhD em Linguística, professor universitário e autor de RPG, Gustavo Brauner.

Há mais ou menos um mês nós, fãs do cenário de RPG brasileiro Tormenta, fomos surpreendidos negativamente com o anúncio da Jambô Editora de que Gustavo Brauner, membro do Trio Ultimate de autores do cenário, não fazia mais parte da equipe criativa do mesmo.


Ainda tristes com a notícia, procuramos Gustavo para tirar satisfações, ora mais! Onde já se viu… saber um pouco mais da sua jornada de consumidor à autor de RPG, saber das fofocas dos bastidores sobre a sua saída e os planos para o futuro dentro do mercado.

De antemão, queremos registrar a nossa gratidão pela atenção dispensada pelo Gustavo que foi extremamente solícito em nos atender durante a sua viagem férias. Isso mesmo, o cara reservou um tempo das férias para atender seu público. <3

Então, vamos ao que interessa!


Multiversos: Das suas memórias mais antigas, quando e como foi a tua ligação com o RPG?

Gustavo: Eu sempre gostei de criar histórias. Meus brinquedos e brincadeiras favoritos sempre foram os que envolviam criar uma trama com heróis, vilões e aventura. Sempre havia uma história como eu via nos filmes, desenhos animados e histórias em quadrinhos.

Fora dos brinquedos, minha brincadeira favorita era simplesmente chamada de “aventura”: cada um era um “aventureiro” e inventávamos as histórias a partir daí. Singrar os mares como Sinbad, viajar pelo espaço como Luke Skywalker, se aventurar no mundo real como James Bond ou Indiana Jones… ou misturar tudo isso! A imaginação era o limite.

Mas eu lembro bem quando houve minha primeira ligação com o RPG. Numa noite, meu pai e eu estávamos assistindo TV (só existia TV aberta, na época) e passou um filme chamado Labirinto de Emoções (Mazes and Monsters, no original, depois traduzido como Labirintos e Monstros). Era um filme com Tom Hanks em que ele e outros jovens recém-chegados a universidade se aproximavam porque jogavam o mesmo jogo: RPG. E não era qualquer RPG, mas um jogo de fantasia medieval parecido com Dungeons & Dragons. Eu não sabia o que era D&D na época, mas já adorava fantasia medieval. E ver um jogo nesse estilo… Aquilo explodiu minha cabeça! Foi a primeira vez que vi fichas de personagem, mapas, miniaturas e até uma espécie de live-action, com os jogadores vestidos como seus personagens, explorando uma masmorra — minas ou cavernas próximas da universidade. A partir de então, comecei a tentar criar meu próprio jogo, inclusive desenhando mapas de regiões distantes e até de masmorras.

Algum tempo depois, no final dos anos 80 ou bem no início dos 90, descobri os livros-jogos da série Aventuras Fantásticas publicados pela Marques-Saraiva (hoje publicados pela Jambô com o título original Fighting Fantasy — quase todos traduzidos por mim) e foi uma loucura total. Meu primeiro foi O Calabouço da Morte (que traduzimos como A Masmorra da Morte, para evitar possíveis problemas de direitos autorais). Minha mãe me deu ele numa sexta ou sábado e passei o final de semana inteiro imerso na aventura. Uma exploração de masmorras clássica, O Calabouço continua meu livro-jogo preferido até hoje. Pouco tempo depois, em 1991, se não me falha a memória, conheci GURPS, ainda na primeira edição brasileira publicada pela Devir. Lá por 93-94, comecei a jogar AD&D, ainda na época dos importados ou xerox (não havia PDFs e internet na época), e o resto é história.

M: Em que momento o RPG passou de um hobby para um trabalho?

G: O Rafael [Dei Svaldi], irmão do Guilherme, editor-chefe da Jambô, e eu somos amigos faz muito tempo. Eu costumava ir até a loja para bater-papo. Um dia, ele me convidou para ir na DragãoFest RPG em São Paulo. Era um evento para comemorar a edição número 100 da Dragão Brasil (em 2003). Eu topei.

Na viagem, me enturmei melhor com o Guilherme Dei Svaldi e o Leonel Caldela, que eu só conhecia de um “oi” quando nos encontrávamos por aí de vez em quando (antigamente, Porto Alegre tinha alguns pontos fixos em que os RPGistas se encontravam para bater-papo e jogar e a gente se conhecia de vista).

Na época da DragãoFest, a Jambô estava publicando seus primeiros materiais de RPG. A equipe era o Rafael, o Guilherme, o Leonel e o André Rotta, primeiro tradutor da editora. Eu tinha me formado em Letras-Inglês pouco tempo antes e estava terminando o mestrado (em Linguística) na época. Com o meu background, acabei sendo convidado a fazer alguns trabalhos para a Jambô. Comecei como revisor, depois passei também a tradutor. Meu início no RPG foi nos bastidores.

Nessa época, eu também já conhecia o Ricardo e o Marcelo Wendell, os “Irmãos Mantícora”, que publicavam a revista D20 Saga. Quando eles se juntaram ao Trio original para fazer a DragonSlayer, me convidaram para escrever para a revista (lá por 2007). Fiz algumas resenhas e matérias diversas. Eu seguia com as revisões, mas já participava de algumas reuniões com o Trio e estava bem por dentro da produção de Tormenta, pois eu revisava quase todas as publicações.

Lá por 2008, a Jambô pegou a licença dos livros-jogos da série Fighting Fantasy. O Guilherme me convidou a traduzi-los. No finalzinho deste mesmo ano, o Guilherme avisou ao Leonel e a mim que o [Marcelo] Cassaro estava largando a DragonSlayer e perguntou se nós queríamos pegar a revista. Apesar de já trabalhar com RPG há tempos, acho que foi ao assumir a DS que minha carreira no RPG começou de verdade. Embora eu desse pitacos aqui e ali, foi a primeira vez que comecei a produzir RPG regularmente.

M: Quando você passou a integrar o grupo de criadores do Tormenta e qual a contribuição mais importante que você deu para o cenário, na sua opinião?

G: Oficialmente, acho que dá para se dizer que comecei a integrar o Trio (na época Sexteto) com a publicação do livro básico Tormenta RPG e de seu primeiro suplemento, Guerras Táuricas. Mas como eu mencionei, já participava de reuniões do cenário antes disso, inclusive dando pitacos e debatendo ideias — mas isso faz parte de como os Trios trabalham; todo mundo discute as ideias, dá dicas, faz sugestões. A mudança na liderança do Panteão, de Khalmyr para Tauron, se deu no Guerras Táuricas, mas era algo que vínhamos discutindo em conjunto, por exemplo. Acho que a forma como se daria a passagem do bastão foi ideia minha.

De lá para cá, acho que tive algumas contribuições interessantes. Plantei as sementes de uma Guerra Civil em Doherimm na Gazeta do Reinado. Eu tinha a intenção de publicar um livro só sobre Doherimm, sua Guerra Civil e todo o mundo subterrâneo e até convidei o Lucas [Borne, que escreve os Manuais], que adora anões, para escrevê-lo comigo e juntamos muitas ideias. Tomara que ele leve o projeto adiante, porque as ideias estavam muito legais. A Vingança Élfica foi uma das minhas contribuições que mais envolveu os fãs.

Eu escrevi os dois Bestiários. Batizei as raças de diabos e demônios de Arton — os rayrachay e os lacharel, trabalhando em cima de material original do Rogério [Saladino]. Neles também resgatamos alguns monstros antigos do cenário, introduzimos outros novos, deixamos monstros clássicos com a “cara” de Tormenta e, se você prestar atenção nas citações na descrição de cada criatura, há um monte de informações que enriquecem o cenário: de personagens e situações a títulos e características. Outro campeão de vendas com a minha participação foi o Manual das Raças, mas minha participação aqui foi mais limitada. Curiosidade: de acordo com o Guilherme, que é quem mantém a conta, eu sou o autor que mais esgotou livros de RPG de Tormenta na Era pós-Tormentão (de novo: contando apenas livros de RPG; se a literatura entrar na jogada, por exemplo, ninguém bate o Leonel).

Durante meu tempo como um dos editores e autores da revista DragonSlayer, escrevi quase todas as Gazetas do Reinado. Pode não parecer, pois eram apenas duas páginas, mas dava um trabalhão criar ganchos de aventuras, personagens, resgatar material antigo e esquecido e ainda manter um senso de progressão da história do cenário. Se você contar que isso foi da edição 24 até a 40 (de 2009 a 2013), então não foi pouca coisa, ainda que mexendo “apenas” com tramas “menores” do cenário.

Como editor, conduzi os trabalhos de Só Aventuras Volume 4. Mas meu grande orgulho é Mundos dos Deuses, do All-New, All-Different Trio Tormenta. Considero esse título um dos melhores de toda a linha, seja antes ou depois da Era pós-Tormentão. O Leonel [Domingos], o Álvaro [Freitas] e o Bruno [BURP Schlatter] são feras! Esperem muito mais coisas legais da parte deles.

Por fim, como jogador, introduzi Calamis em Tormenta, no stream da Guilda do Macaco. Calamis é o personagem com quem mais joguei RPG na vida. Ele logo se tornou o personagem de maior destaque, e dividiu a audiência entre aqueles que o adoram e os que amam odiá-lo. Acabou sendo muito mais importante do que qualquer um poderia imaginar, porque os fãs de Tormenta que simpatizam com elfos finalmente tiveram um personagem em quem se inspirar ou, pelo menos, por quem torcer. A última havia sido Niele, em Holy Avenger, mas mesmo ela havia morrido.

M: Depois de tantos anos trabalhando com o cenário, porquê desse afastamento agora?

G: Diferenças criativas.

M: O Gustavo Brauner escritor de RPG está se aposentando ou veremos mais produtos com seu nome, como Mega City? Quais os planos para o futuro?

G: De jeito nenhum! Não estou aposentado como autor de RPG de maneira alguma. Pretendo me dedicar a outros projetos, inclusive de minha autoria, e não falo apenas de Mega City. Quando decidi ser autor de RPG, o objetivo nunca foi ficar só como autor de Tormenta.

Junto com Tormenta, Mega City, apesar de seu escopo — supers, robôs-mechas-cyberpunk, lutadores, seres sobrenaturais, além de heróis “mundanos”, como Indiana Jones e James Bond —, é apenas parte disso. Tormenta RPG e 3D&T são bons sistemas, mas quero explorar regras de minha autoria, além de outros cenários meus — especialmente Eldenurin, de fantasia, e Invaders, meu cenário cyberpunk. Recebi algumas páginas-teste de diagramação de um novo projeto faz pouco tempo e elas estão lindas. Agora é enche-las de texto!

M: Seu trabalho com RPG continuará a sair pela Jambô?

G: A princípio, Mega City continuará a ser publicado pela Jambô.

Mas faz algum tempo que quero testar outros modelos de negócios e acho que este é o momento para colocar esses experimentos em prática.

M: Alguma mensagem para a galera que curte seu trabalho?

G: Apoiem os jogos, editoras e iniciativas nacionais. Abram-se também para jogos importados.

Saiam da sua zona de conforto e experimentem, abram as ideias para o novo e o diferente. Mesmo que não gostem, vocês pelo menos podem dizer que tentaram.

Enfiem, rolem os dados! Joguem muito RPG! E, principalmente, divirtam-se!


E é isso, pessoal. Nossos mais profundos agradecimentos, e sinceros votos de sucesso nas novas iniciativas, ao Gustavo!

Agora é esperar pelas novidades. Mas, sabemos que sempre virão materiais de qualidade garantida dessas mãos.


Acompanhe nossas redes sociais: Facebook | Instagram | YouTube | Twitter


RPG

Vampiro: A Máscara 5ª Edição | Ficha de personagem em PDF editável v.1.0

Confira a primeira versão da nossa Ficha V5, uma versão em PDF editável da ficha de personagem da 5ª edição de Vampiro: A Máscara, um dos maiores RPGs de horror do mundo!

Publicado há

em

Capa-Ficha_de_personagem_Vampiro_A_Mascara_V5_PDF_Editavel

Vampiro: A Máscara, um dos maiores RPGs de horror do mundo — senão O maior — chegou ao Brasil com a sua 5ª edição pelas mãos da Galápagos Jogos e nós, atendendo a um total de zero pedidos, tornamos a versão em PDF disponibilizada pela editora em uma ficha editável.

De nada. 😉

Antes de mais nada, precisamos deixar claro algumas “coisas”:

1ª coisa: Essa ficha foi feita despretensiosamente por alguém (eu, no caso) que tem ZERO conhecimento do V5. Então, basicamente, eu peguei a ficha em PDF, supus como seria mais ou menos o processo de preenchimento, e trabalhei na versão editável dessa forma.

E aí você pode me perguntar: “Mas, porquê você não leu o livro antes de fazer a ficha?”, e eu te respondo: “Porque não tenho o livro.” (Ajuda nóis, Galápagos!)

Apesar de gostar muito da ideia de ambientação, infelizmente Vampiro nunca foi o foco de interesse do restante do meu grupo de RPG, que sempre esteve muito ocupado rastejando em masmorras e caçando dragões. Então, deixo aqui um pedido a você, amigão que vai baixar essa ficha e ficar indignado por ela não estar “como deveria”: Por favor, nos dê feedbacks com dicas e sugestões de melhorias que, com certeza, as próximas versões serão melhores. (Nossa FichaT20 evoluiu assim.)

++Leia Mais:
– RPG & Revistas, um caso de amor de mais de 20 anos
– Tormenta 20 | Nova Ficha de Personagem Editável v2.0 (duas páginas)

2ª coisa: Nossa FichaV5 conta com um botão de “Reset” da ficha. Com esse botão você poderá limpar a ficha por completo, caso queira/precise. O botão fica localizado no ícone abaixo do logotipo “Vampiro: A Máscara”, como mostrado na imagem abaixo:

Vampiro_A_Mascara_-_Ficha_de_Personagem_Editavel_-_Botao_de_limpar_a_ficha-

Local do botão de “Reset” da FichaV5.

Dito isso, creio que o restante do processo de preenchimento da nossa ficha de personagem editável para Vampiro: A Máscara será bem intuitivo para os amantes do sistema. E, lembrem-se, caso achem necessário, nos informem como podemos melhorar a ficha.

Download Ficha V5 v.1.0


Acompanhe nossas redes sociais para mais novidades:
Facebook | InstagramTwitterYouTube




Continue lendo

RPG

Quer material grátis para incrementar suas aventuras? Conheça a ‘Dragão de Jade’!

A Dragão de Jade é uma iniciativa gratuita com conteúdo para ‘Império de Jade’ e ‘Tormenta20’.

Publicado há

em

revista-dragao-de-jade

Então, você, meu amigo, está em busca de material para incrementar sua campanha de ‘Império de Jade’, RPG brasileiro que, infelizmente, só teve o seu livro básico lançado e, eventualmente, ganha “DLCs” na Revista Dragão Brasil? Nós vamos te apresentar uma solução: a revista digital Dragão de Jade!

Desde os meados de 2019, o blog Dragão de Jade buscou criar conteúdo para o cenário de RPG Império de Jade, publicado pela Jambô Editora.

No ano de 2020 foi anunciada, junto ao financiamento coletivo do novo livro Tormenta20, a criação da Iniciativa T20, uma plataforma que irá agregar muitos outros materiais dedicados a Tormenta e seus cenários irmãos (Império de Jade e Reinos de Moreania). Isto posto, o blog Dragão de Jade resolveu fazer alguns testes criativos antes de começar a desenvolver suas ideias para a Iniciativa T20. Assim nasceu a Revista Dragão de Jade, que atualmente está na sua quinta edição.

++Leia Mais:
– RPG & Revistas, um caso de amor de mais de 20 anos
– Tormenta 20 | Nova Ficha de Personagem Editável v2.0 (duas páginas)

Como de praxe, a revista traz materiais não apenas para Império de Jade, mas também Tormenta20. Além de contos e um papo com Mestres, ajudando com dicas e assuntos sérios que são bem legais de serem abordados com os jogadores.

revista-dragao-de-jade-1200x1200

Clique na imagem para BAIXAR a sua edição.

A revista

Caso tenha ficado curioso com o que é apresentado na revista, resolvemos fazer uma pequena resenha de algumas colunas que você pode encontrar na edição:

  • Conto: O conto desta edição, intitulado “Sem-Nome”, retrata a história de um Trog escravizado, criado unicamente para lutar em uma arena em Tiberius. Entretanto, as mudanças do mundo fazem com que ele busque um novo caminho para a sua vida.
  • PdM (Papo de Mestre): Em “Hermenêutica rpgística”, é discutido os reais objetivos das regras em RPG pelo ponto de vista de um “advogado” (e não só de regras).
  • Tormenta20: Uma nova raça que existe apenas no Deserto da Perdição, graças a uma rixa eterna entre o Deus-Sol, Azgher, e a sua rival, Tenebra, a Deusa da Noite.
  • Unboxing: Essa coluna é dedicada a falar de sistemas ou cenários novos. Nessa edição é comentado sobre City of Mist, um RPG baseando em quadrinhos Noir.

++Leia Mais:
– Tormenta 20 | Conheça ‘Grande Savana’, um excelente suplemento não-oficial
– RPG de ‘The Dragon Prince’ vai iniciar seu período de playtest aberto ao público

Onde encontrar?

É possível baixar de graça todas as cinco edições da revista no próprio blog da Dragão de Jade. Lá você também vai ter acesso a muito conteúdo entre aventuras, itens, NPCs para sua mesa, novas classes ou raças, e muito mais, não apenas de Império de Jade, mas também para T20.

Você pode acompanhar isso e muito mais nas redes sociais deles no Facebook, Instagram e Twitter.


Acompanhe nossas redes sociais para mais novidades:
Facebook | InstagramTwitterYouTube



Continue lendo

RPG

Tormenta 20 | Conheça ‘Grande Savana’, um excelente suplemento não-oficial

Projeto desenvolvido por fã apresenta de forma aprofundada a região da Grande Savana, território quase inexplorado do cenário de Tormenta

Publicado há

em

Tormenta20-Grande-Savana
Ilustração: Khadijah Khatib

A ‘Iniciativa T20’, presente nas metas do financiamento coletivo de Tormenta 20, ainda não saiu do papel, mas já têm em Grande Savana um provável lançamento de sucesso.

Quando Tormenta20 bateu todos os recordes no Catarse, uma das metas extras presentes no projeto era a criação da Iniciativa T20: uma plataforma para a publicação e venda de livros digitais de Tormenta feitos por fãs. Pensando nisso, vários fãs do sistema já começaram a se movimentar para produzir os seus próprios materiais para o cenário.

Com a proposta de apresentar um material completamente novo, que revele as particularidades e nuances de uma das maiores regiões em extensão territorial de Tormenta, nasce o livro digital fanmade, Grande Savana.

Idealizado e produzido por Guilherme Viana, ‘Grande Savana’ é um mini cenário feito de fã para fã que visa desenvolver uma região de Arton, até aqui, pouco explorada pelos autores do cenário.

Em Grande Savana, Tormenta ganha um ambiente totalmente novo para suas aventuras. Fugindo da ideia de uma sociedade simplesmente tribal, o autor Guilherme Viana aposta em uma sociedade mística intimamente ligada à referencias africanas reais, sim, mas que abraça a um certo avanço tecnológico por influência de grandes obras que se referenciam no afrofuturismo, como o filme Pantera Negra.

++Leia Mais:
– Tormenta 20 | Nova Ficha de Personagem Editável v2.0 (duas páginas)
– RPG baseado em ‘Avatar: O Último Mestre do Ar’ e ‘A Lenda de Korra’ será lançado

Grande-Savana-Tormenta-iga-igson-oliwiak

“Cada raça da savana tem sua própria forma de lidar com a magia.” Ilustração: Iga ‘Igson’ Oliwiak

Explorando a Savana

No livro conhecemos Kumbali, um reino-consulado fruto do árduo trabalho do seu atual Rei e antes guerreiro sagrado de Maedê (paladino de Valkaria), Chaka W’Tabi, que tem vem tentando unificar toda a savana sob uma única liderança. Além deste, temos a sombria cidadela de Tairobi e o sangrento território de Wameno.

Para além da apresentação do cenário, o livro traz novas raças, todas muito bem apresentadas e ilustradas, fortemente baseadas na cultura africana. Também temos uma nova classe aqui, o Idã, uma espécie de warlock, alguém que fez um pacto de lealdade com alguma entidade poderosa em troca de poder.

Vale ressaltar que, por se tratar de um trabalho de fã e sem fins lucrativos, as ilustrações usadas no livro não foram adquiridas para dar vida a obra. Todas, ou quase todas, as imagens usadas são devidamente creditadas aos seus devidos proprietários e usadas no manual apenas como forma de representar visualmente aquilo que o autor está buscando descrever. Eventualmente, em uma vindoura publicação do material como parte da Iniciativa T20, o livro deve ganhar artes próprias que casem mais com o estilo de artes do Tormenta20.

O livro termina suas páginas apresentando a visão dos povos da Grande Savana quanto ao panteão artoniano. E, fugindo de ser apenas uma reescrita de um conteúdo já existente, o texto adapta a percepção do povo em relação aos deuses, trazendo novas perspectivas para as divindades. Por exemplo, Thyatis, a fênix flamejante, deus da ressureição e das segundas chances, aqui é Unabi, um aracnídeo que “analisa a teia da vida e os destinos”, e seus devotos podem, durante o combate, fechar os olhos e, por 1PM, “seu corpo passa a prever o futuro próximo e você recebe um bônus de Defesa igual ao seu modificador de Sabedoria”. Simplesmente genial!

Não satisfeito com o seu trabalho, o autor Guilherme Viana já produziu seu primeiro suplemento para Grande Savana, o Guia de NPCs.

++Leia Mais:
– MultiGames | A primeira parte do nosso ‘Tutorial Roll20’ está no YouTube
– MultiGames | ‘Tutorial Roll20’, segundo episódio te ensina a usar Macros

Onde ler ‘Grande Savana’?

Se você gostou da ideia, faça o download grátis dos dois manuais da Grande Savana já lançados pelo Guilherme Viana abaixo:

Grande-Savana-Tormenta-Base

Clique na imagem para fazer o download

Grande-Savana-Tormenta-Guia-de-NPCs

Clique na imagem para fazer o download

Acompanhe o autor Guilherme Viana nas suas redes sociais: Facebook e Instagram.

E adquira o seu Tormenta20 no site da Jambô Editora: AQUI.


Acompanhe nossas redes sociais para mais novidades:
Facebook | InstagramTwitter | YouTube




Continue lendo

RPG

RPG de ‘The Dragon Prince’ vai iniciar seu período de playtest aberto ao público

The Dragon Prince, uma das melhores animações da Netflix, vai ganhar um RPG próprio e o seu playtest aberto começa agora em fevereiro.

Publicado há

em

Dragon-Prince-RPG-playtest-0

The Dragon Prince, animação de sucesso da Netflix, vi ganhar um RPG próprio, Tales of Xadia, e seu playtest aberto inicia dia 9 de fevereiro.

Com o peso de ser uma das melhores animações da Netflix, The Dragon Prince vai ganhar um RPG próprio em breve. Mas, ainda neste mês de fevereiro, você poderá se aventurar no mundo de Xadia.

O playtest aberto foi anunciado pela Fandom Tabletop, a desenvolvedora do jogo. De acordo com as informações, Tales of Xadia irá usar o sistema Cortex RPG, que também está sendo usado no vindouro Masters of the Universe: Legends of Grayskull Tabletop RPG (o “RPG do He-man”, de forma simplificada).

“Nosso objetivo com ‘Tales of Xadia’ é capturar com autenticidade a sensação única, o mundo expansivo e as apostas épicas de The Dragon Prince”, disse Adam Bradford, produtor executivo e vice-presidente da Fandom Tabletop. “Ao entrarmos na fase de teste público, estamos ansiosos para que os fãs vejam o jogo em ação, vivenciem uma história original emocionante e compartilhem seus comentários que nos ajudarão a finalizar o jogo para o lançamento ainda este ano.”

++Leia Mais:
– RPG baseado em ‘Avatar: O Último Mestre do Ar’ e ‘A Lenda de Korra’ será lançado
– RPG & Revistas, um caso de amor de mais de 20 anos

De acordo com a equipe de RPG do Fandom, o jogo se apoia em traços e arquétipos de personagens centrados na narrativa para focar nos relacionamentos que os jogadores desenvolvem em todo o reino – desde simples amizades a alianças políticas complexas – e se aprofunda no funcionamento mágico do mundo da série.

“Este jogo tem as mesmas ricas e épicas histórias de construção do mundo que os fãs da animação já conhecem”, disseram Aaron Ehasz e Justin Richmond, co-criadores da série da Netflix em um comunicado conjunto. “Mal podemos esperar para ouvir sobre as aventuras de vocês em Xádia.”

O playtest público de Tales of Xadia começa agora, dia 9 de fevereiro de 2021, e os jogadores interessados podem se inscrever para ter acesso antecipado a partir de hoje. A pretensão é que o jogo finalizado seja lançado ainda em 2021.


Acompanhe nossas redes sociais para mais novidades:
Facebook | InstagramTwitter | YouTube




Continue lendo

RPG

RPG baseado em ‘Avatar: O Último Mestre do Ar’ e ‘A Lenda de Korra’ será lançado

O universo de duas das mais famosas animações da Nickelodeon vai ganhar um RPG oficial. Prepare-se para dominar os elementos na sua mesa!

Publicado há

em

RPG-Avatar-Topo

O mundo dos dobradores de elementos das animações Avatar: O Último Mestre do Ar e A Lenda de Korra vai ganhar um RPG próprio oficial.

A Magpie Games anunciou o contrato de licenciamento conseguido com a ViacomCBS Consumer Products, detentora final dos direitos das animações, para a produção de um RPG de mesa ambientado no mundo das séries da Nickelodeon.

O CEO da Magpie Games, Mark Diaz Truman, falou sobre a animação com o projeto abraçado: “Estamos incrivelmente entusiasmados em trazer as histórias de dobradores corajosos e de amizades leais para as mesas de jogo de RPG; sabemos que há muitos fãs de ambas as séries que estão esperando há anos por este momento! Também estamos animados com a oportunidade de trabalhar com designers asiáticos como James Mendez Hodes para trazer o mundo do Avatar Aang e da Avatar Korra à vida de uma forma que seja fiel ao espírito autêntico e diversificado de ambos os programas.”

++Leia Mais:
– Avatar: The Rise of Kyoshi | Livro sobre a famosa Avatar da Terra está à caminho
– MultiGames | A primeira parte do nosso ‘Tutorial Roll20’ está no YouTube

A presidente da área de Produtos de Consumo Global da ViacomCBS, Pam Kaufman, ressaltou a credibilidade e confiança que levaram a Magpie Games a ser a empresa escolhida para levar o projeto adiante: “Acreditamos que a Magpie Games é o parceiro ideal para desenvolver um jogo de RPG baseado em ‘Avatar: O Último Mestre do Ar’ e ‘A Lenda de Korra’. Seu compromisso em oferecer suporte a diversos conteúdos de diversos criadores, juntamente com seus produtos excepcionais, os tornou a escolha certa para trazer o mundo do Avatar para as mesas de jogo de RPG.

O Livro Básico (originalmente chamado de Core Book) do RPG tem lançamento programado para fevereiro de 2022 e, além deste, já existem planos para o lançamento de mais dois livros de suplementos: Republic City, previsto para agosto de 2022, e The Spirit World, previsto para fevereiro de 2023.

De acordo com a nota da Magpie Games o contrato entre as empresas será de “vários anos”. Pelo ritmo das previsões, se tudo correr conforme planejado, provavelmente teremos muitos livros sobre o mundo dos Avatares.

Vale ressaltar que as informações de datas são referentes ao lançamento do jogo no mercado americano. Não há qualquer notícia de lançamento dos livros no Brasil.

RPG-Avatar-Korra

Sobre ‘Avatar’

Avatar: O Último Mestre do Ar é uma animação lançada em 2005 e conta com 3 temporadas, totalizando 61 episódios. A série conta a história de Aang, o jovem e último sobrevivente de sua ordem que desperta depois 112 anos de hibernação. Aang é o Avatar da sua geração, e está 112 anos atrasado em seus afazeres como tal.

Avatar: A Lenda de Korra é a animação que conta a história da Avatar subsequente a Aang, Korra. A animação foi lançada em 2012 e teve 4 temporadas, totalizando 52 episódios.

Ambas as animações são propriedades da Nickelodeon, empresa do grupo ViacomCBS Consumer Products.


Acompanhe nossas redes sociais para mais novidades:
Facebook | InstagramTwitter | YouTube




Continue lendo

MultiGames

MultiGames | A primeira parte do nosso ‘Tutorial Roll20’ está no YouTube

Confira o primeiro episódio do nosso Tutorial de Roll20, uma série de vídeos que vão ajudar você a extrair o melhor dessa ferramenta.

Publicado há

em

multiversos-multigames_tutorial-roll20

É com muita alegria que podemos dizer a vocês: o canal do Multiversos no YouTube está de volta a ativa!

Para esse vídeo de retorno convidamos o grande Mauro Juliani Jr., redator da revista digital Dragão de Jade e um dos reitores da Academia de Mestres (que para fazer parte é só clicar AQUI), para desvendar as principais funcionalidades do Roll20, esta ferramenta que tem ajudado muito aos RPGistas durante esse período de pandemia. E, para ficar ainda melhor, o tutorial será todo voltado ao nosso já amado Tormenta20, o maior RPG do Brasil!

Nesse primeiro episódio, teremos um guia completo sobre o uso de Tokens e Mapas no Roll20.

Essa série de tutoriais começa hoje, 29/01, às 15h lá no canal do Multiversos no YouTube. Vai lá, se inscreve e ativa o sininho de notificações para acompanhar junto com a gente o primeiro de muitos, muitos materiais que estamos preparando para vocês no nosso canal.

Nós pretendendo trazer muita coisa legal para vocês lá no nosso canal. E prometemos que tudo será feito com o maior empenho e dedicação possível, podem ter certeza.

Confira também a Parte 2 desse tutorial:
– MultiGames | ‘Tutorial Roll20’, segundo episódio te ensina a usar Macros

Roteiro e apresentação: Mauro Juliani Jr.

Edição: Damásio Neto

Direção Geral: Rafael Lima

Produção: Midivx Comunicação Digital e Multimídia

++Leia Mais:
– Tormenta 20 | Nova Ficha de Personagem em PDF Editável v2.0 (duas páginas)


Acompanhe nossas redes sociais para mais novidades:
Facebook | InstagramTwitter | YouTube




Continue lendo

Filmes

Chris Pine estrelará o longa de Dungeons & Dragons

Chris Pine irá estrelar o novo filme de Dungeons & Dragons da Paramount, dos escritores Jonathan Goldstein e John Francis Daley.

Publicado há

em

dungeons-dragons-chris-pine

Chris Pine vai estrelar o próximo filme Dungeons & Dragons da Paramount e Hasbro.

O longa de adaptação do RPG de maior sucesso no mundo terá Pine no papel principal, é o que revelou o The Hollywood Reporter. O filme será dirigido e escrito por Jonathan Goldstein e John Francis Daley, mais conhecidos por dirigir Game Night e escrever Homem-Aranha: De Volta ao Lar. Nenhum outro detalhe do enredo é conhecido no momento.

O mais antigo e popular RPG do mundo, que cativa jogadores há décadas, ganhará uma nova chance nas telonas depois que Dungeons & Dragons da New Line, de 2000, não conseguiu impressionar nem ao público nem aos críticos. Em 2015, a Warner Bros. garantiu os direitos do filme e anunciou uma mudança no sentido de adaptar o jogo, com Ansel Elgort (Baby Driver) sendo esperado para estrelar. O projeto acabou morrendo com a Paramount conquistando os direitos graças a um contrato de produção com a Hasbro.

++Leia Mais:
– Dungeons & Dragons | Filme ganha atualização de roteiro durante a quarentena
– Dungeons & Dragons | Filme ganha forte suporte com contratação de ex-executivo da Marvel

O novo filme será dirigido por Goldstein e Daley, que assumiram as funções de roteirista de Michael Gilio. Eles serão acompanhados pelo ex -produtor da Marvel Jeremy Latcham, que trocou o MCU pela eOne, braço de entretenimento de mídia da Hasbro. Latcham trabalhou anteriormente com os diretores como produtor em Homem-Aranha: De Volta ao Lar. Ele também produziu Os Vingadores, Guardiões da Galáxia e Os Vingadores: Era de Ultron para a Marvel Studios.

O nome de Pine cresceu consideravelmente ao longo dos anos, com trabalhos em filmes como a nova franquia Star Trek e a série Mulher-Maravilha da DC/Warner, bem como papéis mais dramáticos. Seu nome e familiaridade com os filmes de ação provavelmente o ajudaram a conseguir o papel que a Paramount e a Hasbro/eOne esperam que seja uma nova franquia épica. Pine estará em breve no cinema em Mulher-Maravilha em 1984.

++Leia Mais:
– Caverna do Dragão: Requiem | Roteiro original ganha excelente animação fanmade
– Principais notícias do Marvel Studios no Dia do Investidor da Disney

Dirigido e escrito por Jonathan Goldstein e John Francis Daley, Dungeons & Dragons com Chris Pine está programado para lançamento em 27 de maio de 2022.

Fonte: CBR


Acompanhe nossas redes sociais para mais novidades:
Facebook | Instagram | Twitter | YouTube



Continue lendo

RPG

RPG & Revistas, um caso de amor de mais de 20 anos

Elas são uma das, senão AS, maiores responsáveis pela difusão do RPG aos 4 cantos do Brasil. Elas mesmas, as Revistas de RPG!

Publicado há

em

Revistas-de-RPG-Dragão-Brasil-Forbidden-NOM

No final dos anos 80, o Brasil começava a dar seus primeiros passos no mercado de RPG, quando apareceram nas livrarias as primeiras edições de alguns livros como, por exemplo, Dungeon and Dragons. Mas, só nos anos 90 foi que o mercado passou a olhar com bons olhos para esse hobby que amamos tanto. Foi aí que se deu o surgimento de vários materiais como: jogos de tabuleiros, livros-jogos e até sistemas nacionais começaram a ser publicados. Porém, quero dar um destaque em espacial a elas, as revistas! Isso mesmo: revistas.

Como tudo começou

As revistas tiveram um papel muito importante na difusão do cenário de RPG aqui no país pois, como o acesso a informações não era tão intenso nessa época, cabiam as revistas suprir essa carência do público.

Em suas páginas os leitores encontravam de tudo: aventuras prontas, cenários, personagens, contos, explicações sobre as regras, sistemas e até eventos eram marcados com a ideia de juntar jogadores. Desse período podemos citar algumas como: a revista Dragon publicada pela Editora Abril, sendo uma versão brasileira da Dragon Magazine Archive; a The Universe of RPG pela Editora Ediouro; a Saga pela Editora Escala; mas, a que mais se destacou foi a Dragão Brasil, na época ainda pela Editora Trama, com suas primeiras edições também se chamando Dragon e mudando o nome oficialmente apenas em sua terceira edição.

++Leia Mais:
– Animus: Parte IV | Assassin’s Creed: Revelations, o fim da história de Ezio e Altaïr
– WandaVision | Rumor sugere introdução dos X-men ao MCU

A revista Dragão Brasil, foi ganhando destaque em suas publicações mensais e edições especiais, assim como em seus subprodutos, como a revista Só Aventuras. Quando a Dragão Brasil chegou em sua 50ª edição, junto dela, foi publicada uma edição especial: ‘Tormenta: Um Novo Mundo de Aventuras’. O sucesso foi tão grande que isso gerou várias outras edições especiais, bem como uma revista focada apenas nesse novo cenário (chamada, claro, Revista Tormenta), dando aos editores, Marcelo Cassaro, Rogério Saladino e JM Trevisan, a alcunha de “Trio Tormenta”. Assim, a Dragão Brasil se tornava referência nacional em RPG, pois carregava junto ao seu nome, as revistas Só Aventuras, Tormenta e várias edições Dragão Brasil Especial, como a Defensores de Tóquio.

O fim de uma era

Com a chegada dos anos 2000, o boom da tecnologia e informação trouxeram grandes novidades, então, nos anos seguintes, sites, fóruns e chats que traziam a temática RPG passaram a existir.

A Dragão Brasil, que nesse momento era uma revista consolidada no segmento, passou a ter alguns problemas com a linha editorial que a revista tomou, o que fez com que muitos leitores começassem a buscar outras formas de ter acesso a esse tipo de conteúdo, fazendo com que as vendas caíssem.

Em 2005, o “Trio Tormenta” sai da Editora Talismã, novo nome da editora Trama, deixando a revista Dragão Brasil, após 111 edições. A revista, em seguida, vai parar nas mãos da equipe do site Rede RPG. Com isso o mercado de renova e nascem novas publicações: surge, então, a RPG Master, da Mythos Editora, encabeçada por Marcelo Cassaro. Mas a revista não dura muito tempo e, logo em seguida, seu editor acaba iniciando a Dragon Slayer, da Editora Mantícora, juntamente com seus outros dois amigos de Trio, JM Trevisan e Rogério Saladino, e com parte da equipe da recém extinta D20 Saga, uma revista de publicação bimestral de altíssima qualidade, focada exclusivamente no Sistema D20. A D20 Saga havia durado apenas 7 edições.

++Leia Mais:
– Tormenta 20 | Nova Ficha de Personagem Editável v2.0 (duas páginas)
– Caverna do Dragão: Requiem | Roteiro original ganha excelente animação fanmade

Sem um direcionamento muito claro e agora com novos concorrentes, em 2008, a revista Dragão Brasil é cancelada após a edição 123, tendo seu público tomado pela Dragon Slayer, uma revista bimestral, inicialmente focada no sistema D20, que agora se tornava a única revista impressa dedicada ao RPG no país.

No anos seguintes, a Dragon Slayer passou a ser e publicada pela Editora Escala e produzida pela Jambô Editora, agora responsável por publicar os títulos de Tormenta e 3D&T, logo incorporando esses temas às edições da revista. Mas, como já dito antes, com o avanço da tecnologia e, principalmente, a facilidade de acesso à internet, em 2013, por questões de orçamento, a revista Dragon Slayer é cancelada. A partir daí o material passaria a ser publicado diretamente no site oficial da Jambô.

Com isso, você deve estar pensando: “E foi assim que as revistas de RPG chegaram ao fim?”, e eu respondo: “Não!”. Em 2016, a Jambô Editora anunciou a volta da revista Dragão Brasil em formato digital, através de financiamento coletivo recorrente.

A era digital

A nova Dragão Brasil renasce por aclamação do público, através do que deveria ser apenas uma brincadeira do seu futuro editor, JM Trevisan. Depois de um comentário de Marcelo Cassaro, quanto ao fato de a fonte utilizada no logotipo da série Stranger Things ser a mesma utilizada na logotipia da antiga Dragão Brasil, Trevisan faz uma brincadeira e monta a capa de uma suposta edição da DB sobre a série.

Apenas uma brincadeira para ele, mas não para o público.

Capa-Dragão-Brasil-112

Seriam os poderes da Eleven os reais responsáveis pelo retorno da Dragão Brasil?

A capa gerou um burburinho, que acabou gerando a edição 112, digital e gratuita, de 11 páginas em preto e branco. O suficiente para fazer os saudosistas amantes da DB, sempre sedentos por conteúdo sobre RPG, incentivarem a editora a iniciar um financiamento coletivo para uma revista mensal.

A Dragão Brasil, agora em novo formato, passou a ser distribuída digitalmente com a proposta de trazer aos seus leitores tudo aquilo que nós já estávamos acostumados: materiais exclusivos, aventuras prontas, mapas, personagens, quadrinhos e muito mais. Resgatando mais de 20 anos de tradição para a cultura nacional de RPG.

Buscando justamente esse resgate às origens, os editores originais da DB ignoraram as 12 edições editadas pelas equipes seguintes e retomaram sua numeração a partir do número 112, como citado acima. A Dragão Brasil é, então, a primeira (na versão impressa) e a segunda (em sua versão digital) mais longeva publicação periódica de RPG no Brasil.

++Leia Mais:
– Relançamento de HeroQuest foi financiado com sucesso!
– Conan, o Bárbaro, pode ganhar série na Netflix

Mas, engana-se você se está pensando que a Dragão Brasil é a única publicação que aderiu a esse novo momento. Outras empresas como a Buró Brasil, antiga Redbox, e a New Order passaram a publicar seus materiais exclusivos também em revistas digitais. Todas podendo ser adquiridas via financiamento coletivo recorrente.

Revistas-RPG-nom-31-300x395

A New Order Magazine, a revista da Editora New Order, começou a ser publicada em 2017 e já está em seu terceiro ano. Até a sua edição de número 23 a revista chamava-se de NOW (New Order Warriors) e possuía pouco mais de 50 páginas. Ali eram apresentados vários assuntos, desde conteúdos para a sua linha de produtos como: 13ª Era, Shadowrun, Pathfinder, e outros; bem como abordava assuntos mais amplos como “RPG E EDUCAÇÃO – Uma visão educacional da aplicação do RPG em atividades escolares”.

Agora, em suas edições mais recentes, a revista assumiu o nome NOM e conta com uma média de 80 páginas mensais, contendo notícias importantes do mercado de RPG, coberturas de eventos, novas regras, previews de produtos, expansão de cenários, entrevistas, contos e aventuras prontas para os principais jogos, da própria editora, ou não. Seus três primeiros exemplares estão disponíveis gratuitamente no site da editora AQUI.

Revistas-RPG-Forbidden

Já a Forbidden, produzida pela Buró Brasil, é a mais recente dentre as revistas digitais. Com apenas quatro edições lançadas, a revista tem seu foco um pouco mais voltado para o RPG Old School, seguindo a filosofia do RPG Old Dragon. Nela, você encontrará matérias com aventuras, encontros aleatórios, itens mágicos, novas especializações, guias e conselhos para mestres e jogadores, campanhas vivas, humor, entre outras coisas. A maioria das matérias terão maior foco na imaginação do que nas mecânicas, assim a Forbidden se mostra mais compatível com qualquer jogo de “Dungeon”.

Agora, o melhor está por vir!

Qual a vantagem de aderir algum desses financiamento coletivo para adquirir essas revistas?

Assim como todo material disponível nessa modalidade, você não terá acesso apenas às revistas em si, mas, sim, a uma série de “recompensas” como: descontos especiais para compra de produtos nas lojas/sites das editoras, mapas, artes exclusivas e, em alguns casos, quadrinhos. Em certos casos o valor pago na edição da revista já é “retornado para você” em desconto em uma compra junto à editora. Ou seja, é só vantagem!

Então, caso você queira conhecer algum, ou todos, esses projetos e incentivar as editoras, além de melhorar suas experiências de jogo com novos conteúdos, ou apenas estar por dentro das novidades do mercado de RPG, não deixa de conferir:

Apoia.se da Dragão Brasil

Catarse da Forbidden

Catarse da NOM

Até mais e boas aventuras!


Acompanhe nossas redes sociais para mais novidades:
Facebook | InstagramTwitter | YouTube




Continue lendo

Mais Lidos