Star Wars: Os Últimos Jedi | Crítica (Sem Spoilers) - Multiversos
Siga-nos nas redes sociais

Star Wars: Os Últimos Jedi, o oitavo episódio da grande história criada por George Lucas nos cinemas finalmente chegou e nós do Multiversos assistimos ao longa.

Agora comandado (escrito e dirigido) por Rian Johnson (Looper), o filme começa dando o panorama geral desse universo, mostrando a Resistência, liderados pela General Leia Organa (Carrie Fischer) e seus comandados, tendo à frente o ousado comandante Poe Dameron (Oscar Isaac), tendo que lidar com o cerco crescente da Primeira Ordem, liderada por Snoke (Andy Serkins) com os comandantes de campo General Hux (Domhall Gleeson) e o conflitante Kylo Ren (Adam Driver). A República caiu ante ao poderio da Primeira Ordem e o último foco da Resistência está prestes a ser dizimado e tem a última esperança em Rey (Daisy Ridley) e Chewbacca (Joonas Suotamo) trazerem de volta o desaparecido Luke Skywalker (Mark Hamill) para junto da Resistência.

Johnson assinou tanto o roteiro quanto a direção do longa, e com isso aproveitou para trabalhar os personagens com um misto de reverência aos filmes anteriores, colocando momentos e diálogos que ativam os gatilhos das referências, e ousou em muitos momentos, demonstrando que, muito mais do que fazer um novo Star Wars, ele estava fazendo um filme seu e assim colocou muita personalidade e técnicas pouco, ou nunca, utilizadas nas cenas da franquia. Johnson fez “cinema” sem medo e com segurança e agora é compreensível o porque dele ter ganhado a oportunidade de fazer a próxima trilogia.

Para esta obra ter ganhado um assinatura pessoal tão significativa, a fotografia de Steve Iedlin e o design de produção de Rich Heinrichs foram cruciais, tanto nas batalhas espaciais agressivas e belamente bem definidas quanto na sequência em Crait, onde o vermelho sangue contrasta com o branco dando um significado a mais para a luta lá e fazendo o complemento perfeito. Os figurinos de Michael Kaplan acertam na sobriedade em tons mais escuros e neutros. As lutas de Sabres de Luz ganharam uma coreografia belíssima, num misto duelo de samurais e o Wuxia chinês, e completamente compreensíveis na tela (nada de “shaky cam” aqui). John Williams faz jus a sua experiência em trilhas sonoras e complementa o filme de forma magistral com uma sinfonia mais pesada e com sutis utilizações dos temas clássicos (ache a Marcha Imperial e sorria).

Algo muito bonito de ver é como um excelente elenco faz uma obra brilhar mais. Fischer mostra bem que Leia está sentindo o peso do cerco contra a Resistência. Isaac brilha muito com a ousadia e rebeldia de Poe e também mostra que essas atitudes cobram o seu preço. Boyega mostra que o Finn ainda tem muito o que aprender. Os novatos Rose Tico (Kelly Marie Tran), DJ (Benicio del Toro) e a Vice Almirante Holdo (Laura Dern) cumprem bem os seus papéis na trama. No centro de tudo isso está o trio principal: Ridley cresce demais com Rey e leva a personagem muito bem nessa jornada e, simetricamente oposto, Driver com Kylo Ren, cada vez mais dividido e conflitante, e Hamill, mostrando os porquês da atual postura de Luke tanto com diálogos afiados e uma atuação precisa de dor e frustração. A sua química com Ridley é a coisa mais bonita do filme. Infelizmente é aqui que reside o único problema do filme pra mim, quando Johnson precisa diminuir alguns personagens para outros se destacarem. Pude perceber que essa é uma escolha consciente que funciona dentro do filme mas que me incomodou demais e que não aconteceu no episódio VII. Também entristece ver que alguns personagens realmente não funcionaram até agora e que aqui deram o seu último suspiro na franquia.

Star Wars: Os Últimos Jedi mostra-se um filme que buscou ir além. Ousou e reverenciou toda a história construída até aqui e soube bem colocar que nenhum lado é pleno e, fugindo do maniqueísmo simplista que sempre esteve na série, abriu um novo momento para a história daqueles que se rebelam contra o autoritarismo numa galáxia muito, muito distante.

Star Wars: Os Últimos Jedi
  • Direção
  • Elenco
  • Fotografia
  • Roteiro
4

Resumo

” – Star Wars: Os Últimos Jedi mostra-se filme que buscou ir além.”

Filmes

RUMOR | Jennifer Lawrence poderá viver Sue Storm no reboot de Quarteto Fantástico

Novo rumor aponta que Jennifer Lawrence se juntou ao elenco de Quarteto Fantástico do Marvel Studios, provavelmente como Sue Storm

Rafa-el Lima

Publicado há

em

quarteto-fantastico-jennifer-lawrence-sue-storm-f4

Será que teremos em Jennifer Lawrence a nossa Sue Storm para o longa do Quarteto Fantástico?

De acordo com o Daily Telegraph da Austrália, em matéria replicada no The Daily Mail, a atriz ganhadora do Oscar, Jennifer Lawrence, irá se juntar ao elenco do reboot de Quarteto Fantástico da Marvel Studios.

De acordo com outros sites o site Murphys Multiverse, responsável pela informação de ambas as fontes, teria tentado entrar em contato com a Disney mas não obteve respostas.

Se os rumores vierem a se confirmar, e a entrada de Lawrence no MCU for real, podemos estar diante do casting de Sue Storm, a Mulher Invisível, esposa de Reed Richards. A personagem já foi interpretada nos cinemas por Jessica Alba.

Quarteto Fantástico será dirigido por Jon Watts, que está trabalhando em Homem-Aranha 3, e ainda não há qualquer previsão de estreia.

++Leia Mais:
– Marvel Studios anuncia longa do Quarteto Fantástico
– Principais notícias do Marvel Studios no Dia do Investidor da Disney


Acompanhe nossas redes sociais para mais novidades:
Facebook | Instagram | YouTube | Twitter



Continue lendo

Filmes

Mortal Kombat | Confira o primeiro trailer legendado

O mais mortal torneio pelo destino da Terra está de volta com o remake de Mortal Kombat para os cinemas, que estreia em abril de 2021.

Multiversos

Publicado há

em

Mortal-Kombat-primeiras-imagens-longa-filme-reboot-capa

A New Line Cinema apresenta Mortal Kombat, uma aventura inédita inspirada na bem-sucedida franquia de videogames que, mais recentemente, teve um dos lançamentos de jogos de maior êxito da história, Mortal Kombat 11. O filme é dirigido pelo premiado diretor comercial australiano Simon McQuoid, que faz sua estreia como diretor de cinema, e produzido por James Wan (filmes do universo “Invocação do Mal”, “Aquaman”), Todd Garner (“No Olho do Tornado”, “Te Peguei!”), McQuoid e E. Bennett Walsh (“MIB: Homens de Preto – Internacional”, “O Espetacular Homem-Aranha 2 – A Ameaça de Electro”).

Em Mortal Kombat, o lutador de MMA Cole Young, acostumado a apanhar por dinheiro, não faz ideia da herança que carrega – ou por que o Imperador da Exoterra, Shang Tsung, enviou seu melhor guerreiro, Sub-Zero, um criomancer de outro mundo, para exterminar Cole. Temendo pela segurança de sua família, Cole sai em busca de Sonya Blade por recomendação de Jax, um major das Forças Especiais que tem a mesma estranha marca de nascença na forma de dragão que Cole. Logo, ele se encontra no templo do Lorde Raiden, um Deus Ancião e protetor do reino da Terra, que acolhe aqueles que ostentam a marca. Lá, Cole treina com os experientes guerreiros Liu Kang, Kung Lao e o mercenário vigarista Kano, à medida que se prepara para enfrentar, ao lado dos maiores campeões da Terra, inimigos oriundos da Exoterra em uma arriscada batalha pelo universo. Contudo, será que ele treinará o bastante para desbloquear sua arcana — o imenso poder que existe dentro de sua alma – a tempo não só de salvar sua família, mas também de vencer a Exoterra de uma vez por todas?

O elenco internacional diverso reflete a natureza mundial da marca, com talentos do mundo do cinema, televisão e artes marciais, incluindo Lewis Tan (“Deadpool 2”, da série da Netflix “Wu Assassins”), como Cole Young; Jessica McNamee (“Megatubarão”), como Sonya Blade; Josh Lawson (“O Escândalo”), como Kano; Tadanobu Asano (“Midway – Batalha em Alto Mar”), como Lorde Raiden; Mehcad Brooks (da série de TV “Supergirl”), como Jackson “Jax” Bridges; Ludi Lin (“Aquaman”), como Liu Kang; com Chin Han (“Arranha-Céu: Coragem Sem Limite”), como Shang Tsung; Joe Taslim (“Star Trek: Sem Fronteiras”), como Bi-Han e Sub-Zero; e Hiroyuki Sanada (“Arranha-Céu: Coragem Sem Limite”), como Hanzo Hasashi e Scorpion. Também participam Max Huang, como Kung Lao; Sisi Stringer, como Mileena; Matilda Kimber, como Emily Young; e Laura Brent, como Allison Young.

++Leia Mais:
– Reboot de Mortal Kombat para os cinemas apresenta suas primeiras imagens
– Warner Bros. anuncia seus filmes para 2021

McQuoid dirige o filme a partir de um roteiro escrito por Greg Russo e Dave Callaham (“Mulher-Maravilha 1984”), a partir de uma história criada por Oren Uziel (“Mortal Kombat: Rebirth”) e Russo com base no videogame criado por Ed Boon e John Tobias. Richard Brener, Dave Neustadter, Victoria Palmeri, Michael Clear, Jeremy Stein e Larry Kasanoff foram os produtores executivos. Para trazer essa propriedade incrivelmente popular às telas, McQuoid contou com uma equipe de cineastas australianos e americanos, incluindo o diretor de fotografia Germain McMicking (“True Detective”, “Top of the Lake: China Girl”), o desenhista de produção Naaman Marshall (“Ameaça Profunda”, “O Criado”), os editores Dan Lebental (“Homem-Aranha: Longe de Casa”) e Scott Gray (“Top of the Lake”, “Daffodils”), o supervisor de efeitos visuais Chris Godfrey (“Até o Último Homem”) e a figurinista Cappi Ireland (“Lion – Uma Jornada Para Casa”, “The Rover – A Caçada”). A música foi criada por Benjamin Wallfisch (“Blade Runner 2049”, filmes “It – A Coisa”).

A New Line Cinema apresenta “Mortal Kombat”, uma produção da Atomic Monster/Broken Road Production.

O filme tem previsão de lançamento nos cinemas brasileiros em de 15 abril de 2021 e será distribuído mundialmente pela Warner Bros. Pictures.


Acompanhe nossas redes sociais:
Facebook | Instagram | YouTube | Twitter


Continue lendo

Filmes

Primeiro trailer oficial de ‘Liga da Justiça de Zack Snyder’ é lançado

O diretor Zack Snyder, apresentou hoje ao mundo o primeiro trailer oficial de sua Liga da Justiça. E o resultado é FENOMENAL!

Rafa-el Lima

Publicado há

em

Liga-da-Justiça-de-Zack-Snyder

E, finalmente, os fãs da visão de Zack Snyder para o DCEU da Warner Bros. podem ver um pouco mais da sua verdadeira Liga da Justiça!

Depois do seu afastamento do projeto do filme da Liga da Justiça em decorrência de problemas familiares, e da idiotice de alguns dos grandes acionistas da Warner, Zack Snyder retornou à direção do longa para mostrar a sua verdadeira história e, possivelmente, dar um desfecho ao seu projeto dentro do DCEU. O primeiro trailer oficial você pode conferir abaixo:

Liga da Justiça de Zack Snyder será lançado em 18 de março na plataforma da HBO Max.

++Leia Mais:
– HBO Max | Serviço de streaming chega ao Brasil em junho, confira o vídeo de anúncio
– Zack Snyder revela o visual do Caçador de Marte em sua ‘Liga da Justiça’


Acompanhe nossas redes sociais para mais novidades:
Facebook | Instagram | YouTube | Twitter



Continue lendo

Filmes

Tom & Jerry: O Filme | Muita confusão e diversão em Nova York!

A dupla de Gato e Rato mais famosa dos desenhos animados chega aos cinemas junto com Chloë Grace Moretz para aprontar muito em Nova Iorque.

Jean Sinclair

Publicado há

em

Tom-&-Jerry-O-Filme
Divulgação: Warner Bros.

Tom & Jerry: O Filme (2021), dirigido por Tim Story (Quarteto Fantástico) e escrito por Kevin Costelo é o mais novo filme da Warner Bros. que chegará aos cinemas.

Em seu mais novo longa metragem, a dupla estabanada acaba levando as suas disputas para a cidade de Nova Iorque, onde Tom (ele mesmo) acaba se encontrando com Keyla (Chloë Grace Moretz) que acaba de entrar em seu novo emprego em um hotel junto de Terrance (Michael Peña), e que tem como uma de suas incumbências durante um grande casamento acabar com uma peste de rato chamada Jerry (ele mesmo também).

O filme parte da premissa de que esses “animais animados” e os seres humanos convivem nesse mesmo universo e que todos os animais são animações e conversam entre si, daí alguns deles terem vozes, exceto Tom e Jerry. Isto posto, as interações entre humanos e animais sempre são bastante exageradas e cômicas, e esses momentos funcionam bem na tela graças ao bom trabalho de animação, que criou sim modelos 3D para os personagens, mas os manteve como uma animação 2D, causando o reconhecimento imediato com o público e fugindo de um possível estranhamento que qualquer mudança pudesse gerar.

Há diversos momentos no longa onde vemos os embates entre gato e rato exatamente como acontecem nas suas séries clássicas e usá-los em Nova Iorque acaba gerando boas piadas. Essas lutas acabam por ter reação nesse mundo, porque elas quebram as coisas como vidraças, mesas e até paredes, mas nunca machucam os personagens pra valer, mas isso é bem utilizado pelas trama.

Os efeitos sonoros do filme são eficientes, com todos os WHACKS! e WHAMS! que os desenhos animados usam, mas que surgem apenas nos personagens animados, e a trilha sonora é um elemento neutro no longa. A edição se beneficia bastante quando está a serviço da ação e diversão dos desenhos, conseguindo ser até ágil, mas peca pela monotonia nos momentos com o elenco humano. A fotografia tem belíssimos momentos quando mostra a cidade de Nova Iorque e, junto no design de produção, criam um cenário interno no hotel que está bastante cartunesco criando uma paleta de cores quentes indo na trinca monocromática amarelo-dourado-marrom.

++Leia Mais:
– Confira a nossa resenha de Scoob!
– Sonic – O Filme. Nós também falamos sobre o porco-espinho azul.

Na parte dos personagens humanos temos uma trama bem simples e direta, com mensagens de moral da história e superação básicas, que miram direto no público infantil, mas que possuem diálogos simplórios, e o roteiro do filme acaba dando mais atenção para os dramas e relacionamentos humanos, colocando Tom e Jerry como coadjuvantes de luxo da história da Keyla.

Tom-&-Jerry-O-Filme_V1

Chloë Grace Moretz tem uma presença magnética na tela e você se apega à ela facilmente, mesmo a sua personagem sendo uma malandrinha esperta, mas com atitudes erradas. Michael Peña faz um tipinho irritante e consegue ser tão bom aqui quanto em seus papeis de cara legal. O elenco de coadjuvantes cumprem papeis básicos para a trama avançar e não comprometem. Já Tom e Jerry, continuam sendo eles mesmo e isso é muito legal de ver.

Tom & Jerry: O Filme é um passatempo para toda a família. Consegue ter boas piadas, é reconhecível para os fãs de longa data e acessível para novos públicos, mesmo pecando em colocar os seus personagens mais famosos como coadjuvantes em seu próprio filme.

Tom & Jerry: O Filme chega dia 18 de fevereiro aos cinemas.


Acompanhe nossas redes sociais para mais novidades:
Facebook | InstagramTwitter | YouTube




Continue lendo

Filmes

More Than Miyagi: The Pat Morita Story | O homem além do Karatê Kid

Pat Morita foi imortalizado pelo papel de Sr. Miyagi em Karatê Kid, mas sua vida foi muito mais que esse papel. Descubra nesse documentário.

Jean Sinclair

Publicado há

em

More-Than-Miyagi-The-Pat-Morita-Story-top2

More Than Miyagi – The Pat Morita Story, dirigido por Kevin Derek, traz um lado que poucas pessoas hoje conhecem de um dos grandes nomes da TV e do cinema.

O documentário tem data de lançamento marcado para o dia 05 de fevereiro no Amazon Prime americano e ainda sem data no Brasil e nós do Multiversos traremos aqui nossas impressões sobre o projeto.

More-Than-Miyagi-The-Pat-Morita-Story-Poster

Noriyuki “Pat” Morita é um nipo-americano nascido em 28 de junho de 1932, na Califórnia. Derek, junto com Oscar Alvarez, constroem o roteiro do documentário de forma simples e linear. Tendo como personagem guia a última esposa de Morita, Evelyn Guerrero, o longa mostra a vida do ator de forma cronológica. Partindo de sua infância difícil, onde, desde pequeno, teve de lutar contra uma doença que o deixou paralisado e preso numa cama de hospital.

Morita sofreu durante o período da Segunda Guerra Mundial, onde diversos japoneses e descendentes residentes dos EUA foram levados aos “Interment Camps“, os campos de concentração na Califórnia, criados pelo governo estadunidense durante a guerra. No começo de sua vida adulta, Pat começa a se destacar como comediante e logo chegou na TV, sendo o primeiro ator nipo-americano a se destacar na mídia, trabalhando como “o asiático” em diversos programas até se consagrar como “Arnold”, no sitcom Happy Days (Dias Felizes). Até que um o roteiro de um filme caiu em seu colo. Um filme chamado Karatê Kid.

O filme-documentário concentra seu segundo ato nessa fase da carreira de Pat Morita e os caminhos que o seu papel como o “Sr. Miyagi” abriram, indo de uma sobrevida longa na TV a uma inesperada indicação ao Oscar como Melhor Ator Coadjuvante em 1985. O ato final foca mais nos seus últimos dias e nos demônios que o assolavam, tendo em destaque o alcoolismo.

++Leia Mais:
– Assassin’s Creed ganhará série na Netflix
– Moon Knight | Oscar Isaac está em negociações para estrelar a série do Disney+

Vale ressaltar que o filme utiliza muito bem imagens e gravações de arquivo. É muito bom ver que todas elas foram restauradas e sua utilização é excelente e o projeto sabe os momentos certos de ser dramático sem cair no melodrama e de arrancar boas risadas do espectador, tudo isso graças ao apurado trabalho de edição. A boa mescla de entrevistas, junto com as imagens de arquivo e a condução dos relatos de Evelyn Guerreiro nunca deixam o documentário ficar monótono ou lento. A trilha sonora e fotografia são bem utilizadas.

More-Than-Miyagi-The-Pat-Morita-Story-Pat-and-Macchio

As entrevistas mais esperadas estão no longa. Ralph Macchio (Daniel Larusso), William Zabka (Johnny Lawrence) e Martin Kove (John Kreese) cumprem sua parte ao reverenciar Karatê Kid e seu legado, a série Cobra Kai. Os atores de Dias Felizes também surgem e é importante ver que Morita é uma figura próxima nos círculos de atores latinos e asiáticos na California, como o mostra as entrevistas com Esai Morales (o Slade Wilson de Titans) e do veterano James Hong.

More Than Miyagi – The Pat Morita Story é uma carinhosa homenagem a um dos precursores nipônicos no mercado de TV e cinema nos Estados Unidos. Morita foi uma figura carinhosa, engraçada, amada e um dos atores mais prolíficos de sua geração e esse documentário trazido com carinho e dedicação por Kevin Derek apresentará, ou lembrará, como Morita com seus 1,60m era um gigante em tudo o que fez na sua vida.

O documentário More Than Miyagi – The Pat Morita Story estará disponível a partir do dia 5 de fevereiro no iTunes, Amazon, Vudu, Google Play, DVD e Blu-ray, no mercado americano.


Acompanhe nossas redes sociais para mais novidades:
Facebook | InstagramTwitterYouTube




Continue lendo

Filmes

Turma da Mônica – Lições | Longa ganha seu primeiro teaser trailer

Novo longa da turminha do Bairro do Limoeiro ganha seu primeiro teaser.

Rafa-el Lima

Publicado há

em

Turma-da-Monica-Licoes-teaser-trailer

A Paris Filmes divulgou hoje o primeiro teaser oficial de Turma da Mônica – Lições.

O novo live-action da turminha do Bairro do Limoeiro de Maurício de Souza é uma continuação do longa anterior, Turma da Mônica – Laços (2019).

No teaser temos Malu Mader, como a professora da turma, que está lhes dando uma lição sobre metamorfose, ciclo de crescimento e transformação da lagarta em borboleta. Uma bela lição, não apenas para o colégio, mas importantíssima para a turma e sua própria jornada de crescimento e passagem da infância para a fase juvenil.

O teaser ainda apresenta pela primeira vez a versão live-action de Tina, interpretada por Isabelle Drummond, e Rolo, vivido por Gustavo Merighi.

A Turma da Mônica é mais uma vez vivida por: Giulia Benite (Mônica), Kevin Vechiatto (Cebolinha), Laura Rauseo (Magali) e Gabriel Moreira (Cascão). No elenco também estão Monica Iozzi (Dona Luísa, mãe da Mônica), e Paulo Vilhena (Seu Cebola, pai do Cebolinha).

O filme é novamente dirigido por Daniel Rezende com produção da Biônica Filmes, em coprodução com a Mauricio de Sousa Produções, Paris Entretenimento, Paramount Pictures e Globo Filmes. A Paris Filmes e a Downtown Filmes assinam a distribuição.

O longa tem previsão de lançamento para 24 de junho.

Turma da Mônica – Lições é baseado nos quadrinhos Graphic MSP de Vitor Caffagi, e é segunda edição de uma trilogia composta por: Turma da Mônica – Laços, Turma da Mônica – Lições e Turma da Mônica – Lembranças. Adquira as suas AQUI.


Acompanhe nossas redes sociais para mais novidades:
Facebook | Instagram | YouTube | Twitter



Continue lendo

Filmes

Liga da Justiça | Warner anuncia data de estreia do Snyder Cut

O longa, que terá 4 horas de duração, será lançado no controverso serviço de streaming da Warner, o HBO Max.

Rafa-el Lima

Publicado há

em

liga-da-justica-snyder-cut-estreia-posters

Habemus data de estreia de Liga da Justiça Snyder Cut!

A HBO Max divulgou hoje mais cedo a data de estreia do Snyder Cut de Liga da Justiça. O longa de quatro horas de duração chega ao serviço de streaming em 18 de março de 2021.

Não há qualquer previsão de lançamento oficial do filme no Brasil.

++Leia Mais:
– Zack Snyder revela o visual do Caçador de Marte em sua ‘Liga da Justiça’
– Jared Leto retorna como o Coringa em ‘Liga da Justiça de Zack Snyder’

Além da data, três novos pôsteres foram revelados:

liga-da-justica-snyder-cut-data-estreia1-760x950

liga-da-justica-snyder-cut-data-estreia2-760x950

liga-da-justica-snyder-cut-data-estreia3-760x950


Acompanhe nossas redes sociais para mais novidades:
Facebook | Instagram | YouTube | Twitter



Continue lendo

Filmes

Bad Boys | Quarto longa da franquia já está em pré-produção

‘Bad Boys Para Sempre’, 3º filme da franquia, agradou tanto a público e crítica que já temos continuação a vista!

Avatar

Publicado há

em

bad_boys

Lançado em janeiro de 2020, Bad Boys para Sempre, estrelado por Will Smith e Martin Lawrence gerou expectativas e aplacou a ânsia dos fãs que, há tempos, esperavam uma sequência para a franquia iniciada em 1995 com ‘Bad Boys’ e que teve sua continuação lançada em 2003 com ‘Bad Boys II’.

O terceiro longa da franquia mal comemorou 1 ano de lançamento e, para não correr o risco de esperarmos mais 7 ou 8 anos, já temos notícias de uma nova produção em andamento!

Segundo o site The Hollywood Reporter o roteirista Chris Bremner, que trabalhou no mais recente longa da franquia, está confirmado para escrever o roteiro do quarto filme e, logicamente, espera-se que Smith e Lawrence voltem a viver os detetives que adoramos. De acordo o site, o plano é não demorar o mesmo intervalo de tempo que houve entre Bad Boys II e Bad Boys for Life para produzir esse novo filme.

Até o momento não há confirmação se El Arbi e Fallah, que se saíram muito bem no terceiro filme, voltam a direção da sequência.

Terceiro longa da franquia já causou uma continuação, mostrando o sucesso do trabalho.

++Leia Mais:
– Warner Bros. anuncia seus filmes para 2021
– Filmes 2021 | Principais estreias dos cinemas e streamings

Todo esse tempo levado entre as gravações dos longas se deveu a vários fatores, entre eles: custos orçamentários crescentes e encontrar uma história que se encaixasse. Aparentemente esses problemas não estão presentes no momento.

Os filmes de ‘Bad Boys’ são um misto de comédia e ação desenfreada. Foi ali que se deu a estreia de um, até então desconhecido, Michael Bay, que mostrou para o mundo o seu estilo bombástico de fazer as coisas.

Este possível 4º filme mal chegou ao estágio de pré-produção, mas… — e isso é apenas uma especulação — é fácil ver a possibilidade Bay tentar um retorno à franquia que estabeleceu sua carreira. Vale ressaltar que Michael Bay fez uma ponta como ator no terceiro filme da franquia, como mestre de cerimônias do casamento que ocorre ali.

Agora nos resta esperar por mais notícias.


Acompanhe nossas redes sociais para mais novidades:
Facebook | Instagram | YouTube | Twitter



Continue lendo

Top do Ano